Segunda a Sábado | Das 8h às 12h e das 13h às 18h

Blog

Miomas Uterinos. Tudo Que Você Precisa Saber Sobre Miomas

Os Miomas Uterinos são tumores benignos na grande maioria das vezes, e comuns nas mulheres. Eles se originam das fibras musculares do útero e são formados por tecidos musculares e fibrosos. Seu crescimento está relacionado aos hormônios femininos estrogênio e progesterona. A transformação para malignos é rara nos Miomas Uterinos, em torno de 0,5%.

 

Fatores de Risco para o Desenvolvimento de Miomas Uterinos

Estudos mostram que certos fatores de risco se mostram como mais importantes para o desenvolvimento dos miomas de útero. Eles são:

  • Histórico familiar – existe forte predisposição genética para o aparecimento dos miomas em mulheres com casos de mioma na família direta.

  • Idade – os casos ocorrem principalmente nas 3ª e 4ª décadas, onde o nível hormonal é maior.

  • Raça negra – É de duas a três vezes mais frequente o aparecimento de miomas uterinos em mulheres da raça negra.

  • Menarca precoce – Miomas são mais frequentes quando a 1ª menstruação ocorreu antes dos 10 anos.

  • Hipertensão arterial – A probabilidade do desenvolvimento de miomas é maior em pessoas hipertensas.

  • Nuliparidade – Miomas uterinos são mais comuns em mulheres que nunca tiveram filhos.

  • O consumo excessivo de álcool e/ou uma dieta rica em carnes vermelhas são fatores estimuladores do desenvolvimento de miomas.

  • A obesidade aumenta a possibilidade do desenvolvimento de miomas.

 

Classificação de Miomas de Acordo com sua Localização

Os Miomas de útero podem ser classificados de diversas formas e uma delas é quanto a sua localização. Os sintomas também são peculiares de acordo com essa localização.

  • Mioma Subseroso – Cresce a partir da superfície externa do útero e geralmente não apresenta sintoma.

  • Mioma Intramural – Localiza-se na parede interna do útero e costuma provocar hemorragias uterinas.

  • Mioma Submucoso – Fica alojado dentro do útero, na cavidade endometrial, onde o embrião se fixa. Este tipo de mioma causa hemorragias e aumenta a probabilidade de infertilidade.

  • Mioma Parido – Raro e grave, este mioma se exterioriza por meio do colo uterino, isto é, sai do útero. Isto, além de dilatação do útero e hemorragia, pode causar anemia e infecção.

  • Mioma no Colo do Útero – Costuma ocasionar dor nas relações sexuais.

 

Sintomas Mais Comuns Causados por Miomas Uterinos

Pelo menos metade dos Miomas de útero são assintomáticos, isto é não apresentam sintomas. Quando ocorrem, certos sintomas facilitam a identificação do problema. Os sintomas mais frequentes são:

  • Aumento do volume abdominal.

  • Sangramento anormal – pode ocorrer aumento do fluxo menstrual, e inclusive sangramentos fora do período menstrual. Muitas vezes, os sangramentos são muito intensos e podem causar anemia.

  • Cólicas menstruais – Dor pélvica é decorrente da compressão de estruturas próximas ao tumor.

  • Infertilidade – A obstrução de trompas ou alterações no endométrio dificultam a implantação do embrião.

  • Abortamentos recorrentes – Miomas, de acordo com as pesquisas, estão diretamente relacionados a abortos.

  • Dificuldade para urinar ou incontinência urinária – A compressão da bexiga pode causar dificuldade ou aumento do número de micções.

  • Intestino preso e hemorroidas – a compressão do reto causa prisão de ventre e o esforço para evacuar aumenta a possibilidade da ocorrência de hemorroidas.

 

Exames e Procedimentos para Diagnósticos de Miomas Uterinos

O diagnóstico pode ser feito por meio de diferentes exames de imagem:

  • Ultrassonografia (US) Pélvica ou Transvaginal – A ecografia transvaginal ou pélvica é o exame mais acessível, pois permite a visualização, medição e classificação dos miomas, de acordo com a sua localização.

  • Ressonância Magnética – Permite um maior detalhamento e deve ser feito quando se suspeita de malignização do mioma ou para diferenciar mioma da adenomiose, que é o crescimento de pedaços de endométrio fora do útero.

  • Histeroscopia – procedimento, sob anestesia, por meio do qual se introduz uma cânula com câmera para a visualização interna do útero e consequente identificação de miomas submucosos e intramurais, e que permite avaliar se as trompas estão permeáveis, isto é, abertas para capturar os óvulos.

 

Tratamento de Miomas de Útero

O tratamento com medicamentos é limitado, e indicado principalmente para a redução do volume do mioma, para posterior retirada cirúrgica, em pacientes próximas da menopausa ou com risco cirúrgico elevado. Os medicamentos mais eficazes são:

  • Os chamados análogos do GNRH (hormônio liberador de gonadotropina) que são medicamentos que induzem a menopausa, causando, assim, a redução do tamanho dos miomas.

    • Este tratamento deve ser feito por no máximo 6 meses, já que pode causar sensível redução da massa óssea.

    • Durante o tratamento podem ocorrer fogachos (os calores da menopausa) e ressecamento vaginal durante o tratamento, sintomas comuns quando da menopausa.

    • Outro problema é que, com a parada do uso da medicação, os miomas voltam a crescer.

  • DIU liberador de hormônio. Este tipo de DIU reduz o fluxo menstrual, mas não interfere no tamanho dos miomas.

  • Anti-inflamatórios não hormonais e antifibrinolíticos, que são medicamentos que visam apenas a diminuir o sangramento.

 

As Opções Cirúrgicas

O tratamento cirúrgico é indicado quando:

  • A paciente apresentar hemorragias importantes.

  • Houver aumento do número e volume dos miomas.

  • Ocorrer infertilidade proveniente de mioma.

  • Houver histórico de abortos recorrentes.

A retirada dos miomas pode ser realizada por Laparoscopia, ou seja, por meio da introdução de uma cânula pelo umbigo, ou pela corte cirúrgico da parede abdominal (laparotomia). Nesses casos o útero é preservado.

Histerectomia, retirada total ou parcial do útero, é indicada para miomas muito volumosos e/ou quando a paciente não tem mais desejo de engravidar. +

Por outro lado, há casos em que é possível proceder à Embolização, que é um bloqueio de artérias uterinas para cessar a nutrição de sangue aos miomas. Ela, porém, não é indicada para miomas submucosos, pelo risco de necrose e de expulsão dos miomas.

Ablação do endométrio é outro tipo de cirurgia conservadora, em que a camada que reveste o útero internamente é retirada, para que não haja mais sangramentos.

Assim, gostaria que você ficasse com alguns conceitos:

  • Miomas de útero são normalmente benignos, e a sua malignização é muito rara. O aumento muito rápido de seu tamanho pode indicar malignidade.

  • São vários os fatores de risco ou condições que aumentam a chance do desenvolvimento de Miomas.

  • Os Miomas são classificados de acordo com sua localização.

  • Os sintomas variam de desconfortos como pequenos sangramentos e cólicas leves a graves, como abortamentos e infertilidade.

  • Os exames mais indicado para o diagnóstico são a Ultrassonografia (US) Pélvica ou Ultrassonografia Transvaginal.

  • O tratamento depende da sintomatologia, da idade da paciente, do desejo de engravidar e do número, tamanho e localização dos Miomas.

  • Em casos mais graves, o tratamento cirúrgico é o mais indicado.

Se você ou alguma conhecida apresenta os sintomas que apresentei, indique este texto e o vídeo abaixo. A primeira ação e a consulta com um ginecologista, que pode solicitar exames de imagem para um diagnóstico preciso.

Fale Conosco

Centro Clínico Sul
Quadra SHLS 716, Conjunto L, Torre 1,
Sala 06 e 08, Asa Sul, Brasília-DF.

61 3345.7679 | 61 3245.1455

61 9 9224.0208

Assessoria de imprensa
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Preencha Corretamente
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Preencha Corretamente
Invalid Input

Centro Clínico Sul
Quadra SHLS 716, Conjunto L, Torre 1,
Sala 06 e 08, Asa Sul, Brasília-DF.

61 3345.7679 | 61 3245.1455

61 9 9224.0208

RT - Silvia Caixeta de Andrade CRM 19576 DF